Política de esquerda e de direita: o que defendem? Só existem pessoas de direita e de esquerda?

Como surgiram estes termos? O que eles defendem?

Os Incriveis – Eu Te Amo Meu Brasil.
  • Segunda-feira. atualiza 26 Out 2020 | 15h15
  • Nazaré Paulista-SP
  • Por Editor: Bp Sérgio Oliveira

______________________________________________________________________________

“Portal de notícias do Atitude News –, cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Todo o processo de coleta de dados cujo resultado culmina nas informações a seguir é realizado automaticamente, através de fontes públicas pela Lei de Acesso à Informação (Lei Nº 12.527/2011). Portanto, – Portal de notícias do Atitude News –, não substitui as fontes originárias da informação, não garante a veracidade dos dados nem que eles estejam atualizados. O sistema pode mesclar homônimos (pessoas do mesmo nome). Confira nosso  Descrição Legal.” [O jornalismo profissional precisa do seu suporte].  LEI Nº 12.527, DE 18 DE NOVEMBRO DE 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. … 216 da Constituição Federal; altera a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei nº 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. [O jornalismo profissional precisa do seu suporte].

_________________________________________________________________

Bem-vindo (a), ao Portal de notícias do Atitude News

DIVULGAÇÃO

COMO SURGIRAM OS TERMOS “ESQUERDA” E “DIREITA” NA POLÍTICA?

Pode se dizer que tudo começou na época da Revolução Francesa, quando vigorava o antigo regime absolutista, dividido em 03 Estados: a Nobreza (Primeiro Estado), o Clero (Segundo Estado) e a Burguesia (Terceiro Estado), dividida em alta burguesia e baixa burguesia, constituída por trabalhadores e camponeses. [1]

Em 1789 a Revolução chegou ao seu ponto crítico, momento no qual os trabalhadores e camponeses buscavam uma maior representatividade por parte da Burguesia, bem como que a mesma tivesse um valor maior nas decisões estatais. Os membros deste Terceiro Estado reuniram-se em uma Assembleia Constituinte a fim de redefinir os rumos da França, considerando o protagonismo da burguesia nas escolhas do Estado. [2]

No salão onde se deu esta assembleia, reuniram-se dois grupos: do lado esquerdo encontravam-se os mais exaltados e radicais, alinhados com a baixa burguesia e com os trabalhadores, conhecidos como jacobinos. Do lado direito encontravam-se aqueles mais moderados, com tendência à conciliação e com ligação com a nobreza e com a alta burguesia, conhecidos como girondinos[3]

Assim, diante das divergências entre radicais e moderados, surgiram os termos conhecidos como esquerda, designando aqueles que lutam pelos direitos sociais e dos trabalhadores, e direita, designando aqueles que acreditam no tradicionalismo e se preocupam principalmente com os direitos da elite. [4]

QUAIS SÃO ALGUMAS DAS PRINCIPAIS DIFERENÇAS ATUAIS DESTES SEGMENTOS?

“O desenvolvimento das ideias de autores considerados de direita, como Donoso Cortez e Charles Maurras, bem como o daqueles considerados de esquerda, como Karl Marx Bakunin, entre outros, estimulou gerações de intelectuais, movimentos políticos e ativistas que levaram às últimas consequências a crença em sua ideologia. ‘ [5]

Com o passar dos anos, surgiram alguns pontos conflituosos entra as duas visões políticas tratadas no texto, como na economia. Os de esquerda pregam uma economia mais justa e solidária, com maior distribuição de renda, enquanto os de direita são associados ao liberalismo, no sentido de que defenderiam a livre iniciativa de mercado e os direitos à propriedade particular. Algumas interpretações de direita defendem ainda a total não intervenção do governo na economia, a redução de impostos sobre empresas, a extinção da regulamentação governamental, e etc. [6]

Direita e esquerda também têm a ver com questões morais, haja vista que avanços na legislação em direitos civis e temas como aborto, casamento gay e legalização das drogas são vistas como bandeiras da esquerda. Não obstante, a direita assume a defesa da família tradicional e preceitos religiosos. [7]

Resta claro que a esquerda é vista como um viés político progressista, o qual preza principalmente pela igualdade, liberdade e dignidade da pessoa humana. Já a direita é vista como aquele viés político que defenda a ordem moral, a tradição e os valores religiosos, a liberdade econômica, da livre iniciativa e a proteção da propriedade privada.

SÓ EXISTEM PESSOAS TOTALMENTE DE DIREITA E DE ESQUERDA?

O julgamento do mensalão, o impeachment da ex-presidente, escândalos de corrupção em partidos de direita e diversos outros acontecimentos políticos aumentaram significantemente a rivalidade entre pessoas que se intitulam de esquerda e de direita. Contudo, não existem apenas pessoas de Direita ou de Esquerda. Os cidadãos podem assumir posições mais radicais ou mais tradicionais em diversos assuntos sem serem taxados como deste ou daquele viés político.

Como a esquerda é vista como um segmento que defende os direitos humanos, um indivíduo pode tomar este posicionamento se for a favor da não flexibilização de diversos direitos sociais, por exemplo.

Como a direita é vista como um segmento que defende a defesa da propriedade privada, um indivíduo pode tomar este posicionamento apenas no que tange à criação de legislações que concedam maior autonomia para os proprietários de imóveis, por exemplo.

Há ainda aqueles que se intitulam de centro, centro-esquerda, centro-direita, esquerda-extremista, direita-extremista. Não se pode generalizar e dizer que um indivíduo é de direita ou de esquerda apenas com base em um posicionamento que a pessoa tem sobre determinado assunto.

No mais, enquanto vigorar a democracia e a livre manifestação de pensamento, contanto que esta não interfira nos direitos de outrem, devemos lutar por uma sociedade justa e que vise o bem comum, já que estes são alguns dos princípios do Estado Democrático de Direito no qual vivemos.

1 – O CAMINHO DA INFORMAÇÃOO sistema não entende e nem entenderá eles perseguem, difamam, improvisam armadilhas;  fazem crescer, à lubricidade na noturnidade, aumenta o  investimento em prol do armistício lamaçal, e à “ação de se tornar poderoso, e passar a possuir poder de autoridade, e domínio a EXEMPLO. Exemplo em processo de empoderamento sobre classes desfavorecidascom socialismo Insidioso, financiador do terror;
2 – Arma insídias; prepara ciladas; enganador, traiçoeiro, pérfido, (figuradamente) parece benigno, mas pode ser ou tornar-se grave e perigoso (diz-se de mal, enfermidade etc.). “a febre tifoide é uma doença i.”
3 – ”O dicionário vai além, oferecendo   uma extensão deste conceito caracterizando-o como gíria: “Passar a ter domínio sobre a sua própria vida; ser capaz de   tomar decisões em nome do insuportável … 
4 – Quanto à Democracia: fortifica convicções, com Deus acima de tudo, e o povo ao seu lado Patriota! vença as diferenças! Não Há Justiça Sem Deus!  (grifo nosso!
Manual de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa

NÃO HÁ JUSTIÇA SEM DEUS

Please follow and like us:
Eu, Sérgio José de Oliveira, Bispo Evangélico, Bel. em Teologia, Jornalista, Ex-Acadêmico de Direito, Baiano da Cidade de Pedro Alexandre - Brasil, maior de 71 anos de idade, nasc. em 04/12/1948

Deixe uma resposta